sábado, 15 de maio de 2010

ALIMENTAÇÃO / NUTRIÇÃO

Foto: retirada da Internet e transformada - sem indicação do autor

Alimentação é o acto voluntário de ingestão de alimentos por parte do indivíduo, sendo que, se este pouco se preocupar com a sua nutrição, ingerirá alimentos que aparentemente lhe saciam a fome, mas não produzem os nutrientes básicos (principalmente os essenciais, que não são sintetizados pelo organismo), levando a debilidades várias, consoante os nutrientes em falta.

Acresce ainda o facto de o individuo, poder estar igualmente a fazer uma Alimentação abundante (lida no sentido de excesso, face às necessidades do organismo), que conduzirá à absorção de diversos nutrientes, como glícidos, lípidos e sais minerais como o Na, que se irão acumular no organismo, levando ao desgaste e/ou falência de determinadas estruturas e consequentemente à doença e a prazo, nalguns casos à morte, como por exemplo nos designados enfartes.

No sentido de cada organismo absorver os nutrientes, particularmente os essenciais, à manutenção da composição corporal desejada e manter a energia suficiente para a capacidade de trabalho físico e mental, sem criar qualquer tipo de debilidade ao organismo, o individuo, deverá ter em conta os alimentos que ingere, praticando uma alimentação saudável, ou seja, uma dieta variada tendo em conta as doses que devem ser ingeridas de alimentos comprovadamente saudáveis.

Em suma, Alimentação é diferente de Nutrição, sendo que a Nutrição depende directamente daquilo que for a Alimentação, havendo uma relação directa entre ambos. Uma Boa Alimentação produz uma boa nutrição – absorção suficiente dos nutrientes que o organismo necessita – uma má Alimentação (em excesso ou defeito) produz uma nutrição deficiente porque os nutrientes não estavam presentes, ou estavam em excesso, nos alimentos ingeridos.

Nota: Alimentação em defeito (lida como escassez de alimentos) – produz nutrição deficiente porque os nutrientes não estavam presentes nos alimentos.
Alimentação em excesso (lida como ingestão de muitos alimentos, mas dieta pouco variada) – produz nutrição deficiente, porque uns nutrientes não estão presentes e outros estão em excesso.

p.s - Como certamente já repararam, não tenho conseguido dispôr do tempo que desejaria, para continuar pelo menos com a mesma profusão de textos que era habitual, aqui no PALAVRA SEM JEITO, tudo devendo-se ao facto de eu considerar, que nunca é tempo de enveredarmos por outras alternativas de conhecimento, na nossa vida.

Por isso mesmo resolvi, partilhar convosco, alguns textos referentes a essa minha outra "ocupação", situação, que colocarei a espaços, sendo este post, um exemplo disso.

2 comentários:

  1. O amigo Samnio é uma descoberta constante.
    Tudo o que escreve tem interesse, esta sua outra "ocupação" fica aqui também muito bem ;-)
    A alimentação correcta é um assunto muito importante e valioso que tendemos muitas vezes a esquecer devido à vida apressada que levamos. É na correcta alimentação que fazemos, e no que comemos que está a nossa qualidade de vida.
    Tenho pena que o tempo não sobre para si, mas nunca desista de escrever aqui, pois os seus conhecimentos são preciosos.
    Um abraço amigo

    ResponderEliminar
  2. Gostei deste seu texto, ainda não tinha pensado bem no assunto.
    Sabia que comer é diferente de nos alimentarmos bem, mas não nestas prespectiva.
    Agora também digo... e como, combater o pecado da gula, esse é que é um grande mal, para mim.
    v.

    ResponderEliminar