sexta-feira, 27 de março de 2020

COVID 19
Foto: Samuel Patrocínio

Olá, tenho aparecido muito pouco aqui pelo “Palavras Sem Jeito”, mas hoje marco presença.
Estou como uma grande maioria dos Portugueses em Isolamento, vai já para 2 semana e a fazer trabalho online. Para já estou bem.

Sei que provavelmente mais cedo ou mais tarde, vou ficar contaminado. Sei que aquilo que os governos estão a fazer é nada mais nada menos do que dosear as contaminações, para que não venhamos a assistir a cifras de milhares de mortes por dia. É como uma narrativa contada em “câmara lenta”. Não tenho ilusões. Mas tenho esperança que rapidamente se consiga encontrar uma vacina que possa ser administrada principalmente aos grupos de risco.

Sei também que existia um Mundo antes do Covid 19 , e que agora existe outro Mundo. Temo ainda estar a viver  no Mundo do pré-Covid 19.

Sei igualmente que estamos perante desafios Económicos, Sociais e de todos os níveis, dolorosos e que exigem resistência, tenacidade e esperança.
Falarei destes assuntos noutros Posts.

BRASIL: - Permitam-me deixar uma palavra para os nossos amigos Brasileiros, que seguem o “Palavras Sem Jeito. Cuidem-se e desobedeçam às ordens de Bolsonaro. Esta Doença não é uma “gripezinha” e não afeta só idosos. Mesmo que afetasse só Idosos era nosso dever protegê-los. São os nossos Pais e Avôs, São gente. Raça Humana. Protejam-se. Bolsonaro vai pagar caro pela sua decisão. Na Europa estão a morrer diariamente milhares de pessoas.

---/---

Quero agora compartilhar convosco o texto que se segue,  que publiquei hoje noutra rede social, e que mostra a minha atitude e participação enquanto cidadão no dia 30 de Janeiro de 2020, em email, enviado à DGS, dirigido à Drª Graça Freitas.


Covid 19 - Fase de Mitigação

1 - Portugal entrou ontem em fase de Mitigação. Entrou em Fase de Mitigação porque ignorou a Fase Profilática, o que de resto foi acompanhado pela Europa.

2 - No momento presente a China aparentemente tem controlada a sua situação, mas está a recorrer a Medidas Profiláticas para impedir o "retorno" da doença, ao enviar para Quarentena obrigatório todos os que cheguem a território chinês.

3 - Medida Profilática idêntica tomou desde o inicio da crise o território de Macau, com resultados excelentes. Abriu a brecha e voltou a ter casos. E de novo recorreu à Quarentena obrigatória para quem venha de fora, mostrando novamente bons resultados.

4 - Desde muito cedo se percebeu que este vírus era diferente. Eu percebi. E como percebi pedi por escrito Medidas Profiláticas ao Governo Português, no dia 30 de Janeiro.
Passo a reproduzir alguns trechos da missiva:
- "Colocados perante este facto, e perante outros dados que vão chegando diariamente, somos sugestionados a acreditar que estamos perante uma doença séria e que requer procedimentos excecionais e rápidos."
( chamo à atenção para o alerta - "estamos perante uma doença séria e que requer procedimentos excecionais e rápidos."

Continuando na reprodução de excertos da missiva:
- "Sem tom de critica ao que até agora foi feito, deixar-nos-ia mais calmos ver uma atuação mais corpórea na Profilaxia/Prevenção e não na eventual Remediação. Creio que será uma excelente medida de não Alarmismo Social que se invista de facto na Profilaxia/Prevenção, assente também no pilar de que todos os indivíduos que cheguem a Portugal, vindos da China, sejam eles Chineses, Portugueses ou de outra qualquer nacionalidade, devam ficar em Quarentena, sem contacto direto com outros indivíduos. Pode parecer uma atitude exagerada, todavia tem o condão de contribuir para reverter o alarmismo social e claramente evitar situações que possam correr mal ou fugir de controlo."
(chamo atenção para - "ver uma atuação mais corpórea na Profilaxia/Prevenção e não na eventual Remediação" e "devam ficar em Quarentena, sem contacto direto com outros indivíduos" e ainda "claramente evitar situações que possam correr mal ou fugir de controlo."

5 - Reproduzo as minhas últimas palavras na missiva:
"Perdoe-me a sinceridade, mas prefiro passar como sendo um individuo de preocupação excessiva, do que a minha consciência me flagelar por não ter feito absolutamente nada neste caso, sabendo claramente da insignificância das minhas palavras."
"Concluo, com a crença de que neste momento, se não por uma razão de Saúde Pública, pelo menos por uma questão controle do Alarme geral, se proceda à Quarentena de todos os indivíduos vindos da China, pelo tempo considerado necessário."

6 - Isto foi em 30 de Janeiro. Em email enviado à DGS.

7 - O meu intuir que a situação era grave e que estávamos perante um vírus diferente, baseou-se na observação de dados, recolha de informação particularmente dos medias estrangeiros e relatos de quem tinha familiares na China.

8 - Acredito que se tivessem sido tomado medidas Profiláticas, em Portugal e na Europa, estávamos a viver um momento diferente. Não isento de casos. Mas casos controlados. A Europa optou por ser Arrogante.

9 - Disseram-nos que existia uma ínfima probabilidade do vírus chegar a Portugal. Depois disseram-nos que estava-mos preparados e finalmente admitiram que temiam que não estivéssemos preparados. Mas, essa lengalenga já era conhecida dos Incêndios.

10 - Acredito que neste momento o Governo Português está de alma e coração, a fazer tudo, o que está ao seu alcance. Mas tudo o que possa fazer é pouco para a dimensão da situação.

11 - Não resultou. Mas como cidadão fiz a minha parte, alertando a quem de competência (sem me esconder no conforto das redes sociais) para aquilo que me parecia ser, no que se torno.

 12 - Resta-nos compreender os tempos e colaborar com as autoridades.

4 comentários:

  1. Seja o que for acontecendo
    vá lendo, ouvindo e lendo

    Eu ando distribuído contos a contento

    e sigo tudo o que prescreve no ponto 12

    ResponderEliminar
  2. Olá, Sam!

    Senti no seu texto palavras de desalento. Eu sei que a situação é crítica, mas tenhamos esperança.

    Muitas pestes e pandemias já aconteceram no passado, mas sobreviveu muita gente.
    Não sou do tempo da lepra em Portugal e das medidas que se tiveram de tomar, separando filhos de pais e vice-versa, mas os mais velhos e a História fala-nos disso muito bem.

    A carta que enviou à Dra. Graça Freitas mostra bem a sua preocupação em relação à Humanidade, mas não terá caído em saco roto? Talvez não. Teve resposta?

    Penso que este governo, no qual não votei, e os profissionais de saúde têm dado o seu melhor.

    Um abraço e dias de esperança.

    ResponderEliminar
  3. Sam,

    Enviou um email à DGS, dirigido à Dra. Graça Freitas e não uma carta, tal como refere no seu post. Entendi bem?

    Dias com paciência e fé!

    ResponderEliminar
  4. Olá Céu.
    Enviei email. Resposta, nenhuma.

    ResponderEliminar