terça-feira, 29 de dezembro de 2009

PARA ALÉM DO ALMEJAMENTO

Foto: Samuel Ramos Patrocínio

Hoje é caso para começar este Post, com a expressão “ E, Pronto”.

E, Pronto, 2009 está a chegar ao fim. Com ele encerra-se não apenas um ano, mas também uma década.

A década a que eu chamo, DO ALMEJAMENTO. Quem não se recorda de como as gerações anteriores a 70, de 70 e 80, mais do que ambicionavam, “almejavam” vir a viver no século XXI, ultrapassando a barreira do mítico ano 2000. Feito que muitos diziam ser impossível, tal era a convicção cega que depositavam nos inúmeros dizeres e nas rocambolescas profecias, que garantiam “que aos mil passarás, mas aos dois mil não chegarás.”

Não só se chegou ao ano 2000, como estamos a atingir o final da sua primeira década. Dizia-me no outro dia um amigo, que estava complemente estarrecido, como o tempo tinha passado tão depressa, tão depressa dizia ele, que as pessoas em dez anos parece que não tiveram um minuto para PARAR, apenas com o simples motivo de poderem meditar sobre a forma como nos comportamos e agimos uns para com os outros. Dizia que não notava nenhuma diferença comportamental no Ser Humano, independentemente de estarmos a viver no século XXI, exceptuando a adaptação e dependência da tecnologia, principalmente das de Informação e Comunicação, mas que nem achava mal de todo.

Concordando com o meu amigo, apesar de tudo, a primeira década do século XXI, não deixa de ser um marco importante na vida de todos aqueles que a viveram e terão a sorte de PASSAR PARA ALÉM DO ALMEJAMENTO.

Para todos um 2010, com tudo de BOM.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

APENAS PARA REFLECTIR EM ÉPOCA DE NATAL






Fotos retiradas da Internet / Sem indicação dos autores

Enquanto andava há procura de imagens para ilustrar o Post anterior, deparei-me com as imagens que "publico".

APENAS PARA REFLECTIR EM ÉPOCA DE NATAL

domingo, 20 de dezembro de 2009

UM SANTO E FELIZ NATAL NA PAZ DO SENHOR

Foto retirada da Internet / Sem indicação do autor

Sendo este o último Post que coloco antes do Natal, o mesmo terá de ser dedicado a esta época do ano muito especial, para aqueles que acreditam nas Sagradas Escrituras.

Pensei em apenas fazer um pequeno texto muito superficial sobre o Natal, contudo, não consigo deixar de abordar algumas situações que me "atormentam", ainda que de uma forma muito sintetizada.

Digo "atormentam", mas não deixo de incorrer nalguns dos mesmos erros que anoto e me "confrangem".

"Atormenta-me" ver que o Natal tem cada vez mais uma via de sentido único, que se chama materialismo, em detrimento da ESPIRITUALIDADE.

Quantos Adultos e principalmente Jovens e Crianças comemoram e sabem qual é a essência do Natal? O que conta é o Pai Natal, as Renas, os Gnomos e claro, as PRENDAS, muitas de preferência, o mais caro possível, nem que a seguir fiquem abandonadas num canto e sem terem tido qualquer uso. – No mundo rural, embora o materialismo tenha vindo de forma galopante a ganhar força, ainda se vive um Natal com alguma Espiritualidade, devido ao facto de se cumprirem determinadas tradições e, haver uma maior proximidade com a vivência religiosa.

Em matéria de presentes, chegamos inclusive ao ridículo, de ofertar prendas que por si só são completamente contrárias à mensagem de Natal, basta para não irmos mais longe, pensar nos brinquedos bélicos ou de cariz manifestamente agressivo que muitos meninos vão receber este Natal.

E, relativamente ao designado jantar em família. Para quantas famílias o ensejo não serve apenas para se dizer umas quantas patacoadas, regadas com álcool quanto baste para se apanhar uma bela de uma piela, quando na verdade, e, em família, seria importante, já não digo ter uma atitude de reflexão cristã, (consoante a igreja que se professe ou se tenha maior empatia), mas reflectir sobre posturas, comportamentos e forma de passarmos a agir para que todos os dias pudessem ser Natal.


A TODOS UM SANTO E FELIZ NATAL NA PAZ DO SENHOR.


P.S. – Abaixo e só por curiosidade, segue uma lista de como se diz Feliz Natal, em diversas Línguas do Mundo.

Alemão - Frohe Weihnachten
Árabe - Mboni Chrismen
Bielo-russo - Winshuyu sa Svyatkami
Búlgaro - Vessela Koleda
Castelhano - Feliz Navidad
Checo - Vesele Vanoce
Chinês - Sheng Tan Kuai Loh
Chinês (Taiwan) - Kung His Hsin Nien bing Chu Shen Tan
Cingalês (Sri-Lanka) - Subha nath thalak Vewa, Nathar Puthu Varuda
Coreano - Sung Tan Chuk Ha ou Sungtan Chukha
Dinamarquês - Glaedelig Jul
Eslovaco - Vesele Vianoce
Esloveno - Srecen Bozic
Filipino - Maligayang Pasko
Finlandês - Hauskaa Joulua
Francês - Joyeux Noël
Gaélico (Irlanda) - Nollaig Shona dhuit
Georgiano - Gilotsavt Krist'es Shobas
Grego - Eftihismena Christougenna
Groenlandês - Glædelig Jul, Juullimi Ukiortaassamilu Pilluarit
Húngaro - Boldog Karácsonyt
Hebreu (Israel) - Mo'adim Lesimkha
Hindu (Índia) - Shub Christu Jayanti
Islandês - Gleðileg Jól
Italiano - Buon Nata
Japonês - Merii Kurisumasu
Letão - Priecigus ziemassvetkus ou Laimigu Jauno gadu
Lituano - Laimingu Kaledu
Macedónio - Streken Bozhik
Moldavo - Craciun fericit si un An Nou fericit
Neerlandês - Zalig Kerstfeest ou Prettige Kerstdagen
Nepalês - Krist Yesu Ko Shuva Janma Utsav Ko Upalaxhma Hardik Valthukkal Shuva
Norueguês - Gledelig Jul
Polaco - Boze Narodzenie

domingo, 13 de dezembro de 2009

SE NÃO FOSSEMOS TÃO NARCISISTAS ...

Foto: Samuel Ramos Patrocínio

Estava há pouco a olhar para uma revista que exibia na capa uma fotografia do rosto de Cristiano Ronaldo e, no meu cérebro um turbilhão de pensamentos em cascata sucedeu-se. Lembrei o recebimento do Prémio Nobel por parte de Obama em Oslo, o agravar da contenda no Afeganistão, as peripécias de José Eduardo dos Santos para se perpetuar no poder por mais uns anitos e naturalmente a cimeira de Copenhaga.

Certamente já todos perceberam onde quero chegar neste Post. Nem mais… tudo isto revela a inconstância humana assente em princípios éticos e morais, dificilmente compreensíveis mas simultaneamente banalizados e aceites socialmente por todos nós.

Gostava de escrever que todos concordam que vivemos num planeta, que deve ser entendido como sendo a nossa casa comum. Gostava, mas na verdade a atitude demonstrada leva a supor precisamente o contrário. Dificilmente entendemos que a nossa forma de organização em sociedade se fundeia em artificialismos, que geralmente obstipam a verdade e são contrários a muitos valores que deveriam ser, não uma excepção, mas a regra.

Na verdade, tudo começa com o exacerbamento Narcisista do Ser Humano, pelo menos na maioria das formas de organização Social, Religiosa e Política que conhecemos. Fingimos preocuparmo-nos com os outros, até argumentamos que somos filhos de um mesmo Deus, sendo todos irmãos e por isso lá nos rogamos a dar umas migalhas aos mais necessitados em troco, se possível de uma boa publicidade, isto para não acrescentar mais ao rol.

Se não fossemos tão Narcisistas já tínhamos entendido que a nossa relação com a Natureza e, de uns para com os outros, muito deixa a desejar. Já tínhamos entendido que vivemos num espaço global, cujas fronteiras, sejam elas de que natureza forem, não passam de meros superficialíssimos construídos pela natureza humana.

E, assim sendo não se entende, e eu gosto muito de futebol, que um jogador possa auferir um salário para lá do entendível como justo, sendo que o remanescente podia alimentar muitas crianças. Não se entende, que alguém possa ser pela PAZ, quando pratica a GUERRA. Não se entende que alguém queira governar, sem que pelo menos se sujeite ao plebiscito popular.

E, por fim, não se entende por que razão os HOMENS, têm tanta dificuldade em encontrar um entendimento (que não encontram) que a todos beneficia.

domingo, 6 de dezembro de 2009

PORTUGUÊS DE ÁFRICA, ANGOLANO NA EUROPA

Foto: retirada Internet / sem indicação do autor

Há muito que queria colocar um Post, sobre Eu e a África que me viu nascer, mas não sabia como o fazer, porque quando à minha memória “sinto” África, pululam muitos sentimentos, que acabam por ter o duplo efeito, de querer muito e sobre muitas coisas escrever e igualmente não o conseguir fazer.

Quando me perguntam se ainda sinto alguma coisa por Angola, de uma forma bem definida respondo, que sou culturalmente Português e Europeu, afinal só nasci e estive em Angola até aos quatro anos e sou filho de pais portugueses, obrigados a regressar devido à incompetência do Estado Português, no que à Descolonização diz respeito. Mas, a coisa não é bem assim… há no meu código genético, na minha personalidade, na minha forma de ser e agir, no Eu que sou, uma directriz intuitiva que me impulsiona ao Continente Negro.

É uma força maior do que Eu, que constantemente me faz o favor de lembrar que afinal não sou apenas Português e provavelmente menos Europeu. É uma força que dita claramente que também sou Angolano e Africano. É uma força, que me trás à memória as cores e tonalidades, a luz, os sons, o ritmo das gentes e a coragem de África.

Uma força que quantas vezes inconscientemente me impele a sorver os noticiários da RTP África, de uma forma tão evidente, como se uma necessidade básica de sobrevivência se tratasse, confundindo aqueles que comigo vivem e para quem África é pouco mais do que um Continente com memória de alguns países que foram Portugal.

Sou … Português de África, Angolano na Europa.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

FÁTIMA LOPES EM ALTA DEFINIÇÃO

Foto: retirada da Internet / Não tinha indicação do autor

A estilista Fátima Lopes, foi a convidada do Programa da SIC “Alta Definição”, do passado Sábado.

Foi a primeira vez que vi este programa do Daniel Oliveira e gostei do formato.

Fátima Lopes, falou de si e da sua carreira. Frisou várias vezes que não gosta da Arrogância e da Mentira. Que não consegue perdoar, porque previsivelmente um amigo não trai, logo não necessita de perdão. Referiu-se à importância e valor do trabalho e o que o mesmo representa para si. Contou como se iniciou no Mundo da Moda, recordando os fatinhos que em pequena já fazia nas suas bonecas, à vinda para Lisboa, à abertura de uma loja multimarcas, às viagens que fez em procura de conhecimento e maior Experiência e Envolvimento na Moda, até àquilo que é hoje.

Em suma, Fátima Lopes, demonstrou categoricamente porque é uma vencedora, evidenciou a sua personalidade e genuinidade e mostrou a sua veia humanista.
Devo referir que não sou por assim dizer, fã de Moda, o que não significa que esteja completamente alheado daquilo que se faz por cá e lá fora dentro deste âmbito e que desconheça o trabalho de Fátima Lopes.

Não conheço pessoalmente a estilista, contudo, reconheço e deve ser reconhecido valor àqueles (seja ela ou outro qualquer), que contra a corrente imobilista de certa forma generalizada de ser Português, avançam fruto da capacidade de risco, organização, rigor, esforço e muito, muito trabalho, conseguindo sucesso.

domingo, 22 de novembro de 2009

CAIM e a cainização

Desenho e Foto: Samuel Ramos Patrocínio


Não, não vou propriamente fazer um post dedicado a esse livro que estão a pensar, nem sequer citar o nome do seu autor, porque assumidamente e sendo este espaço meu, esse nome não entra, por uma série de razões que não me vou dar ao luxo de abordar.

Quero apenas que fique claro que sou sempre a favor da liberdade de expressão responsável, mesmo que essa seja levada ao limite.

Seja quem tenha sido Caim, a verdade é que se fala cada vez mais, daquilo a que não é novo, mas que se tem vindo a agudizar e que designo por “Cainização” da nossa Sociedade e que assenta em:

- que cada vez mais, a dignidade de CARACTER é cada vez menos um valor prioritário, da nossa sociedade. Parece que o que apenas conta, é atingir um determinado objectivo, independentemente de se olhar a meios.

- que salvo raras excepções, não há pejo em utilizar tudo com o objectivo final de se atingir algo.

- é cada vez é mais difícil conseguir viver-se ou até mesmo sobreviver-se neste matagal de ervas daninhas, usurpadoras dos mais básicos e elementares valores de vivência e convivência em sociedade.

- de uma forma quase geral, foi desenvolvida uma enorme capacidade de maleabilidade teatral, que leva o individuo a parecer um manso cordeirinho, mas que na realidade não passa de um esfaimado lobo, sem qualquer apego ao designado “ peso de consciência”.

Desenganem-se se me considero excluído da “Cainização”, NÃO, de modo nenhum, porém há situações em que ainda não me revejo e espero nunca me rever.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

DE NOVO A CAMINHO DO ADAMASTOR




Finalmente Portugal conseguiu.

Foi difícil, sofrida e sofrível , a caminhada da Selecção Portuguesa de Futebol, rumo ao mundial da África do Sul.

Não me apetece dissertar, pelo menos hoje, sobre esta longa, longuíssima “espera” de ver Portugal, rumo a terras outrora, já por nós navegadas. Quero apenas referir que não tinha havido necessidade de ter-mos de ter feito um Play-off, mas isso, é já também um velho fadado rosário português.
Sobre o Play-off, no jogo da Bósnia Herzegovina, um brevíssimo comentário, sobre a população Bósnia. Para se pertencer a um país, melhorzinho que a Bósnia, implica alguma atitude civilizacional, assente em matrizes culturais de respeito pelo outro e pelos outros, ainda que, possamos não morrer de amores pelos mesmo ou mesmos. Por tudo o que se passou, com a Selecção Portuguesa, e, principalmente pela forma vil, selvática, gratuita e despojada, com que se manifestaram para com a PORTUGUESA, hino de Portugal, demonstra bem, que se alguma vez quiserem pertencer à Europa Civilizada, ainda têm muito, que tomar injecções de boa educação, só que essas …não se vendem na farmácia.

E, aí está PORTUGAL de novo a caminho do Adamastor, para tal como fez Vasco da Gama, DOBRÁ-LO.

Excertos do canto V, dos Lusíadas de Luiz Vaz de Camões:

39
Não acabava, quando uma figura
Se nos mostra no ar, robusta e válida,
De disforme e grandíssima estatura,
O rosto carregado, a barba esquálida,
Os olhos encovados, e a postura
Medonha e má, e a cor terrena e pálida,
Cheios de terra e crespos os cabelos,
A boca negra, os dentes amarelos.
50
Eu sou aquele oculto e grande cabo
A quem chamais vós outros Tormentório

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

TEMPO

Foto: Samuel Ramos Patrocínio

Se o TEMPO fosse meu,

Há muito,

que não havia TEMPO

para o TEMPO.


segunda-feira, 9 de novembro de 2009

20 anos depois de 28 anos de MURO DE BERLIM









Fotos: Retiradas da internet / Sem indicação dos autores

Enquanto coloco este post, o que não o poderia deixar de fazer, assisto pela televisão à “queda de 2 km de peças em dominó”, simbolizando o derrube do Muro de Berlim, sendo visível uma alegria esfusiante pouco comum no rosto do povo alemão, celebrando a vitória da LIBERDADE.
Disse que não o poderia deixar de fazer, porque desde muito novo, embora fisicamente distante, por intermédio de familiares que viviam quase “colados” ao Muro, contactei com muitas histórias de roubo da liberdade individual e colectiva de um povo, que não queria, nunca quis nem quererá, ser encarcerado pela filosofia dogmática de alguns ditos iluminados da nossa história universal, detentores de teorias de soberba inteligência, cujo paradigma se baseava no crer que a morte de um milhão de pessoas não passava de mera estatística.
Recordo-me, de ouvir histórias dramáticas e inenarráveis, daqueles que nunca cederam aos ditames do imperialismo Soviético e resistiram, perdendo quase sempre a vida ao tentarem a ansiada LIBERDADE com que sempre sonharam.
20 anos depois de 28 anos de Muro de Berlim, já todos tiveram oportunidade de entender que o Muro representava a diferença entre ter ou não ter DEMOCRACIA (lida em sentido lato – dava muitos posts) e consequentemente LIBERDADE.
Disse, tiveram.

O facto é que infelizmente em Portugal, muitos há que gostam de viver a LIBERDADE do lado de cá do Muro, mas pensam nostalgicamente na REPRESSÃO do lado de lá do Muro.

Pena é que nunca tivessem vivido do lado de lá do Muro, porque certamente já tinham demolido o SEU MURO de natureza mental.

P.S – Os resíduos resultantes do Muro, serviram para “betonar” as frágeis estradas da Alemanha de Leste.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

HÁ-DE CHEGAR O TEMPO

Foto: Samuel Ramos Patrocínio

Há-de chegar o tempo
Das nuvens se afastarem
E, sentires os raios do sol
Iluminarem o espírito.

Há-de chegar o tempo
Em que tudo se transforme,
E a lua, ilumine a noite

Há-de chegar o tempo
Em que tu,
Tu,
Tu serás,
Apenas tu.

sábado, 31 de outubro de 2009

PÃO POR DEUS

Foto: Samuel Ramos Patrocínio
Não tinha previsto colocar nenhum post que versasse o Halloween. Não posso, contudo, deixar de o fazer, quando a velha tradição Portuguesa do “Pão por Deus”, foi literalmente substituída pela tradição anglo-saxónica do Halloween, popularizada pela máquina de Marketing, Norte-Americana.

Hoje, tal como muitas vezes fiz em criança, não vejo as crianças deste país, no dia 1 de Novembro a bater à Porta da vizinhança da aldeia e pedir o “Pão por Deus”. Hoje, batem à porta e dizem “Doçura ou Travessura”, na ânsia de receber alguns doces.

Naquele tempo, juntávamo-nos igualmente em grupos, e em todos os lares, a cada batida de porta, após dizermos que vínhamos pedir o “Pão por Deus”, mãos generosas, colocavam no nosso saco de tecido, figos secos, nozes, castanhas, romãs, passas ou cachos de passas, pinhões, e as tradicionais broas ou bolos podres. Cada lar dava o que tinha ou podia. Algumas vezes lá vinha alguma moeda.

Nós ficávamos felizes e a aldeia também, tinha-se cumprido a tradição. Nós éramos apenas só mais uns obreiros, daquilo que cada elemento da aldeia já tinha sido. Mais, se não fossemos a todas as casas, as pessoas ficavam como que “irritadas” e no dia seguinte, iam distribuir o “Pão por Deus”, que tinham destinado a cada criança.

Hoje, batem-me à porta e dizem “Doçura ou Travessura”, mas eu, apenas conheço a expressão “Pão por Deus.”

P.S. – Durante a feitura deste texto, não pude deixar de lembrar a “Ti” Levira; a “Ti” Deolinda, a “TI” Conceição, a “Ti” Guilhermina, a “Ti” Luciana, e muitas outras cujo nome a minha memória já não alcança.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

ESPÍRITOS

Foto: Samuel Ramos Patrocínio

Tresloucados, espíritos
Que vos atormenteis
Por prejuriosos
Dias, de uma infantil
Efemeridade,
Que em catapulta
Atravessa o vosso ser,
Embrenhando-se
Nas vossas almas
Corrompendo-vos o espírito.
Liberteis-vos.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

"PENSAR" AMBIENTE

Foto: Samuel Ramos Patrocínio

Parece-me sensato, que se comece o que se tenha de se começar pelo princípio, e o princípio em Ambiente, no meu entender é mostrar o porquê da importância de se falar em Ambiente ou, por outras palavras, dizer porque é que se tem que “pensar” Ambiente e, só depois mostrar caso por caso, a necessidade de agir de determinada maneira em prol do Ambiente.

Um cidadão apenas modifica os seus hábitos de vida, quando entende o princípio basilar de um determinado assunto. Entendido esse princípio, gradualmente e de forma crescente, percepciona as fracções que compõem esse princípio basilar.

Porque é que muitas Campanhas de Educação Ambiental acabam por ser um fiasco? Porque se partiu de uma fracção, sem que o receptor tenha entendido o princípio que norteia essa Campanha.

Em Ambiente o princípio basilar é simples e facilmente perceptível. Quem entender que o Ambiente é um legado, cujo deve ser mantido e transferido à geração seguinte, pelo menos em melhores condições, do que foi recebido, sobre pena de inviabilizar de forma irreversível, ou na melhor das situações, diminuir a qualidade de vida de filhos e netos, entende, que eventualmente necessita de arrepiar caminho nos hábitos de vida.

Entende que não é necessário, mas imperioso “PENSAR” Ambiente.

Texto: Publicado há cerca de 4 anos, na Agenda Municipal de Vidigueira.

domingo, 18 de outubro de 2009

ONTEM NÃO APOIEI O MEU BENFICA


Por aquilo que a minha memória consegue alcançar, ontem terá sido a primeira vez que não “puxei” pelo meu Benfica, e não podendo haver outro resultado, até teria ficado não feliz, mas contente se o glorioso tivesse esbarrado aos pés do Monsanto.

Não “puxei”, porque outros valores sentimentais se ergueram. Jamais poderia deixar de apoiar, um clube do meu concelho, que o mesmo é dizer da “minha terra”. Apoiei, o Monsanto, como apoiaria, o meu Atlético Clube Alcanenense, o Mindense, o Vila Moreira, o Malhou, o Gouxaria, o Filhós, o Espinheirense, o Louriceira, o Bugalhos, o Pousados, o Covão do Coelho, o Serra de Santo António, o Moitas Venda e os Marítimos de Alviela da minha aldeia da Raposeira.

Embora residente na Margem Esquerda do Guadiana, tenho acompanhado sempre o Futebol do meu Concelho de Alcanena. E, se tenho ficado triste, por aquilo que passou o Atlético, agora felizmente em recuperação, e outros clubes como o Vila Moreira, o Mindense e o Espinheirense e ainda o Amiense do Concelho vizinho de Santarém, tenho também ficado muito feliz, pela subida meteórica do Monsanto, desde a Inatel, até à Segunda Divisão Nacional.

É, um orgulho para as gentes de Monsanto, mas para mim também, e para todo o Concelho de Alcanena, uma aldeia com cerca de 1200 habitantes, ter conseguido a proeza de ter uma equipa na Segunda Divisão Nacional.

Nestes momentos como o de ontem, em que o Monsanto defrontou o Benfica, para a Taça de Portugal, recordei-me de alguns velhos companheiros de Escola, desde a Preparatória até ao Secundário, como o pequeno, grande Telmo, e se a memória não me falha, da sua empresa de vasouras, ou o Júlio, da empresa de velas, entre muitos outros. E, já que estamos a falar de Futebol, a memória leva-me a outro colega, grande jogador de Futebol, da vizinha terra de Amiais de Baixo, o “Cabé”.

Naturalmente, também não pude deixar de lembrar, que durante cerca de dezasseis anos, todos os dias da minha casa, olhando na Direcção da nascente do nosso Rio Alviela, lá estava, lá está e estará a aldeia de Monsanto.

Embora fisicamente longe, Monsanto e as suas gentes, podem ter a certeza, que no Alentejo, há alguém e este blog, firmemente a torcer sempre pelo Grupo Desportivo e Recreativo de Monsanto.

Bem Hajam.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

MAITÊ PROENÇA E PORTUGAL

Foto: retirada da internet /sem indicação do autor

Hoje, quero reagir a quente, apetece-me...

Não tenho por hábito reagir "a quente" a qualquer coisa que seja, primeiro, porque considero não ter uma sapiência que me permita ter uma reacção de que não me venha a arrepender posteriormente, segundo, gosto de reflectir, "entrar no assunto" e amadurecidamente agir.

Acabei de ver no telejornal do canal um, da RTP, que a actriz brasileira Maitê Proença, e parafraseando português, do Brasil, "chingou" dos portugueses e de Portugal, de uma forma absolutamente gratuita, desnexada, e reveladora de alguma dor de cotovelo, ou será, por algum problema da Amor mal resolvido, com algum português?
Maitê fique sabendo, que nós portugueses, também lhe conseguimos arranjar alguns epítetos, mas como fomos educados de forma diferente, não nos vamos dar ao luxo de os inumerar.
Só mais uma coisa, não estrague a sua beleza, com disparates e já agora aprenda que, "quem não se sente não é filho de boa gente."
beijinhos.

domingo, 11 de outubro de 2009

BARACK OBAMA - PRÉMIO NOBEL DA PAZ?

Foto: retirada da internet / sem referência do autor

Provavelmente deve ser incapacidade minha, ou falta de conhecimento, mas a verdade é que apenas consigo encontrar dois argumento plausíveis, para que Barack Obama, tenha sido agraciado com o Nobel da Paz.

Não lhe reconheço para já, qualquer feito, que motive a atribuição de um prémio com a grandeza do Nobel da Paz. Creio mesmo, que a Academia Nobel, tomou uma atitude que a tempo a poderá descredibilizar, atendendo às funções do visado, que, naturalmente, por muito que não queira, terá necessariamente que fazer a defesa dos Estados Unidos, e isso por tradição, implica muitas vezes tomar uma atitude, que à PAZ muito fica a dever.

Argumento 1 – Tentativa de condicionar a política externa Norte-americana, obrigando moralmente Obama a inflectir ou a tomar medidas menos agressivas e, implicar a opinião pública Americana nessas decisões, se os interesses Americanos forem molestados. Contudo não acredito que perante, “agressão” séria a esses interesses, Obama consiga resistir à pressão dos lobbies e opinião pública.

Argumento 2 - Falta de capacidade de pesquisa e pouca imaginação da Academia Nobel, para entregar o prémio a quem realmente merece. E, há muita gente e instituições no mundo que o merecem, pelo trabalho, dedicação e esforço altruísta em prol de muitas causas, que embora, nem sempre com o eco da visibilidade mediática, são responsáveis por “climas” de PAZ, nos “microcosmos” em que actuam. A título de exemplo, Fernando Nobre e a AMI.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

AMÁLIA, uma recordação

Foto: retidada da internet /Não tinha referência do autor


Não sou pessoa de ter por hábito idolatrar quem quer que seja, por isso, não é meu hábito recordar ou fazer referência, a nomes que para muitos, deverão ser reverenciados por todos. É assim a minha maneira de ser. Considero que na nossa "passagem" pela terra, o nosso destacar em qualquer que seja a área, não nos dá a ousadia de considerar-mos, seres superiores, susceptíveis de idolatração.


Abro todavia hoje, como abrirei com certos nomes futuramente, uma excepção, não para idolatrar, para recordar, por aquilo que fizeram ou eventualmente foram.


Quero hoje, recordar, AMÁLIA RODRIGUES, pela simples razão de ter tido o mérito de através do FADO, a canção nacional, ter levado o nome de Portugal, a todos os cantos do Mundo.


Quer se queira quer não, AMÁLIA, ainda hoje é reconhecida e respeitada por todo o mundo, e uma grande bandeira do nosso país.

AMÁLIA, uma recordação...

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

APRENDER A VOAR

foto: Hasaliah
Aprender a voar, foi sempre uma ambição que o homem teve e, conseguiu, em resultado da persistência e capacidade de encaixar os vários reversos, que se lhe foram colocando.

Poderia agora dissertar, um pouco sobre a temática, mas serve este post, para referir duas situações:
Primeiro – que a persistência, desde que sadia e não encarada e entendida como teimosia – muitos há que confundem persistência com teimosia – é uma capacidade humana, que deve ser levada até à exaustão. Com persistência, aquilo que eventualmente nos possa parecer impossível, tornar-se-á possível, como o foi para Bartolomeu de Gusmão, com a sua passarola.
Segundo – e mais importante hoje, é dar a conhecer o blog “voarsemhasas.blogspot.com”, de alguém que começou a aprender a voar através da blogosfera.

domingo, 27 de setembro de 2009

NÓS (portugueses) E A ARROGÂNCIA

Foto: Samuel Ramos Patrocínio


Não sei se será deficiência minha, ou enviesamento na observação, que faço à sociedade Portuguesa.

Partindo do princípio que as minhas observações correspondem à verdade, ainda que, tolerando um desvio a essas mesmas observações, sou tentado, a afirmar que os portugueses estão cada vez mais arrogantes e menos humildes.

Não vai nenhum mal ao mundo, de quando em vez ter arrogância. O problema a meu ver é quando esta se torna patológica, e, por tudo ou por nada, incluindo o saber muitas vezes que a razão é pertença de outrem, ilogicamente, se teima nunca verdade não existente ou deveras discutível.

Achamo-nos, melhores, mais verdadeiros e mais imaculados que qualquer um, quando na teoria e na prática, somos apenas mais um Ser, frágil, e desprotegido perante a dimensão do Cosmos, mas essa nossa “ridícula dimensão” de poder, parece não encaixar em muitas mentes, obcecadas em dominar e controlar os seus “mundinhos idiotas”, a troco do desrespeito pelo outros, dando supremacia à arrogância.

Em suma, a Sociedade Portuguesa, parece cada vez mais, estar a ser construída, alicerçando-se num telhado, velho, esburacado e carunchoso.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

BREVES REFLEXÕES - 1

Foto: Samuel Ramos Patrocínio
Desenho: Samuel Ramos Patrocínio




De quando em vez, a partir de agora colocarei "pequenos post(s)" para breves reflexões.



Diz o ditado ou a expressão: "Nem tudo o que parece é.



Acrescento eu: "Nem tudo o que parece é, mas tudo o que é, pode não parecer."

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

NEM TODAS AS PALAVRAS O VENTO, DEVE LEVAR.

Foto: Samuel Ramos Patrocínio


Estamos em Campanha Eleitoral, para as Eleições Legislativas , e brevemente para as Eleições Autáquicas.
Vamos ouvindo os mais diversos candidatos dizer muita coisa. Lamentalmente no diz respeito a promessas, a métrica que tem sido seguida, normalmente, rege-se sempre pela mesma directriz, que e o mesmo é dizer, na generalidade, não são para cumprir.
Retirando, esse pequeno grande "pormenor" que são as promessas, ainda assim, há algo importante a avaliar nos candidatos, e que, é facilmante mensurável, entre aquilo que vão dizendo nos seus discursos e depois as práticas que efectivamente consolidam.
Gostei há dias de ouvir um líder de uma força partidária dizer, num concelho, em que a sua força política não tem grande expressão, que, as pessoas do seu partido, tiveram uma enorme coragem em dar o nome para as listas e que, por isso mesmo e devido a esta ousadia, irão, muito provavelmente, sofrer represálias por parte da força partidária dominante, e que isso NÃO ERA DEMOCRÁTICO NEM JUSTO.
CONCORDO EM PLENO.
As liberdades individuais de um individuo, devem ser sempre respeitadas, não devendo isso, trazer consequências na sua carreira profissional ou outra, só porque, pensa diferente de outrém.

SE ALGUÉM COMPROVADAMENTE DEMONSTROU SER BOM PROFISSIONAL, TRABALHADOR, DEDICADO E COMPETENTE, SÓ PORQUE "PENSA DIFERENTE", NÃO TEM O "DIREITO" SER SANEADO, DE QUALQUER CARGO QUE OCUPE.

ISSO NÃO É DEMOCRACIA NEM JUSTIÇA.

Acontece porém que essa força política é maioritária, em diversos concelhos e por experiência própria, sentida na pele, fez precisamente aquilo que o seu líder claramente repudiou.

Voltarei a este tema em tempo oportuno, porque a história pode não ter acabado por aqui, e revelei qual a força partidária e líder em questão.


sexta-feira, 11 de setembro de 2009

11 DE SETEMBRO de 2001

Foto: retirada da Internet /Sem indicação do autor


Foto: retirada da Internet / sem indicação do autor


Foto: Richard Drew

Foto: retirada da Internet /sem indicação do autor


Sem muitas palavras, com uma única intenção, RECORDAR, MEDITAR E OLHAR O FUTURO.


obs: Por iniciativa de Barak Obama, hoje nos Estados é Dia Nacional de Oração e Memória. Devem os Americanos dedicar o dia, ou parte a uma causa comum.

domingo, 6 de setembro de 2009

ARISTIDES DE SOUSA MENDES

Foto: retirada da Internet / sem indicação do autor
Sem ter a pretensão real e o trabalho de verificar num dicionário, o que significa a palavra “Herói”, tenho no meu íntimo, que um “Herói” é alguém que se destacou devido a alguma proeza, que tem como beneficiário último a humanidade ou um determinado indivíduo, pondo em risco a própria vida.

Ultimamente, porém, verifico, que a minha “intuição”, relativamente ao significado, parece, representar coisa diferente, e um “Herói”, é alguém, que a troco de meia dúzia de baboseiras, aparece na televisão, dizendo coisa nenhuma, quanto mais fazendo coisa alguma.

Se o último post, foi sobre o inicio da fatídica segunda guerra mundial, seria injusto, e porventura até mesmo “indigno”, não recordar a memória daquele, que contra o poder instituído e as ordens que deliberadamente lhe foram dadas, teve a CORAGEM e a ATITUDE de dizer SIM À VIDA. A ele, por todo o Mundo, muita gente deve ou deveu a sua vida.

Mais importante de tudo, é entender que ARISTIDES DE SOUSA MENDES, não se acobardou na faustosidade da sua vida, mas, deu voz aos seus ensinamentos basilares “NÃO MATARÁS”. Quero com isto dizer, que para ARISTIDES, não agir, representava cumplicidade, de um estado opressor (Alemanha) que se dizia cristão e de um estado a que pertencia que igualmente cristão se dizia.

Pelo seu “PECADO” de HEROICIDADE, sua santidade imaculada de qualquer pecado, de nome Oliveira Salazar, coadjuvado pelo seu carracento cardeal Cerejeiro, do alto do seu intocável cristianismo, deixaram morrer, ARISTIDES DE SOUSA MENDES, em 1954, quase na miséria.

É assim desta forma que sabemos agradecer, muito mais quando nos designamos por cristãos.

HAJA CORAGEM PARA A VERDADE. SE HERÓIS EXISTEM, ARISTIDES DE SOUSA MENDES, É A “ALMA MATER” DOS MESMOS.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

QUANDO A MEMÓRIA DOS HOMENS...

Foto: Samuel Ramos Patrocínio

Não poderia deixar de lembrar, que faz hoje (dia 1 de Setembro) precisamente 70 anos, que um "punhado" de homens, liderados por um LOUCO, invadiu a Polónia, dando origem à segunda guerra mundial.

Porque muitos outros homens, gostam que a memória se esvaia no tempo, tentando ocultar factos, de que até a propria História Universal tem NOJO em reportar, aqui, na simplicidade deste blog, a memória tem direito ao seu espaço, para que todos aqueles que têm consciência civilizacional, não esqueçam, que seguir as directrizes de um homem, quaisquer que elas sejam, nem sempre, ou quase sempre é o melhor.
A PRUDÊNCIA, A RACIONALIDADE E A NOSSA CONSCIÊNCIA, devem em qualquer caso ser o nosso ponto de equilibrio, na relação, com aqueles que por um motivo ou outro dispõem do poder para controlar e influenciar massas populacionais.
Apenas, um dado mais, dos muitos milhões de pessoas inocentes que perderam a vida durante a segunda guerra mundial, e porque tudo começou na Polónia, só a Polónia perdeu 20% da sua população.
QUANDO A MEMÓRIA DOS HOMENS ...

terça-feira, 25 de agosto de 2009

MAS ESSA ESTRADA, QUE FOI ESTRADA, DEIXOU DE O SER

Foto: Samuel Ramos Patrocínio

Sinto que hoje tenho de colocar um Post, não me perguntem porquê, mas é importante para mim escrever algo.

Lembrei-me de um poema, que fiz há anos, intitulado "A Estrada", e que dizia "percorri esta estrada tantas vezes, percorri e continuo a percorrer". Percorri essa estrada com um único objectivo, que também não revelo, um dia destes coloco aqui o poema.

Mas essa estrada, que foi estrada, deixou de o ser.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

PALAVRAS SEM JEITO EM FORMA DE RABISCOS







Desenhos no Guardanapo de: SPCR
Fotografias: Samuel Ramos Patrocínio

Quantas vezes, num almoço ou jantar, damos por nós a "rabiscar" o nosso guardanapo ou a toalha de papel da mesa.
Muitas vezes nem temos essa percepção, porém, há sempre uma mensagem, "uma palavra sem jeito", através, da forma mais básica e universal de Comunicação que é o Desenho.
Queira-se ou não, esse "rabisco"tem sempre um significado muito pessoal, ainda que nem sempre o "queiramos" entender, ou fazer entender a quem nos observa.
TRAÇO A TRAÇO,
DESENHO NO PAPEL,
UMA VIDA INTEIRA...

UMA VIDA, QUE JÁ VIVI,
UMA VIDA QUE AINDA NÃO VIVI...

UMA VIDA QUE "HEI-DE" VIVER.

Em cima algumas fotografias de um guardanapo que captei há dias.

CADA UM QUE RETIRE AS SUAS "PALAVRAS SEM JEITO".

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

AINDA OS SEMPRE PODEROSOS

Desenho e Foto: Samuel Ramos Patrocínio
1 - Tenho profundamente que agradecer a todos os que comentaram o Post "OS SEMPRE PODEROSOS", pois, e sem qualquer demagogia, não esperava sequer um comentário, quanto mais 12 até ao momento. MUITO OBRIGADO e para ti POLIGNAC, um obrigado do peito.

2 - Começei este Blog, sem qualquer interesse, nem linha temática, em Julho, apenas com o simples intuito de lançar à Net, PALAVRAS SEM JEITO e também fotografias, mas, por aquilo que é possivel aferir a adesão pública, para já, tem sido notória. MUITO OBRIGADO.

VOLTANDO AOS SEMPRE PODEROSOS, apenas para citar uma frase de uma "velha" AMIGA "Haverá sempre, um dia do caçador e outro da caça."

SEMPRE PODEROSOS, já sabemos que têm o hábito de ser sempre o caçador, esperem pelo dia da caça...

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

OS SEMPRE PODEROSOS


Foto e Desenho: Samuel Ramos Patrocínio

Chega, Basta, de ver os SEMPRE PODEROSOS, não cumprirem com os seus deveres de JUSTIÇA.

Quando falo em SEMPRE PODEROSOS, falo de todos aqueles, que pela mentira, o discurso fácil, apelativo, lisonjeador, aproveitam e fazem-se aproveitar das debilidades humanas (muitas em consequências de situações imprevisíveis e sem culpa do próprio individuo, outras resultantes da sua vontade estúpida de um pavoneio ignóbil, gerador de maus resultados).
Associado a tudo isto, estes SEMPRE PODEROSOS, ainda utilizam a arma da chantagem, enfraquecendo, os já de si fracos, muitas vezes, com a sagrada “permissão”, de serem perante o Mundo exemplos intocáveis de uma religiosidade imaculada, quando na verdade não passam de uns autênticos FILHOS DA P…, que até a mais reles das meretrizes teria nojo, em os ter deitado ao Mundo.

… OS SEMPRE PODEROSOS não podem ganhar sempre.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

UMA VELHA PAIXÃO


Foto: Samuel Ramos Patrocínio
Local: Aeroporto de Faro

Como diz um velho ditado chinês, "Uma Imagem vale mais que mil palavras".
Duas imagens desta minha paixão, valerão...

domingo, 9 de agosto de 2009

SALMO 117

Foto: Samuel Ramos Patrocínio


Crentes ou não crentes, respeito qualquer tipo de fé, mesmo aqueles que a não têm. Ainda assim, deixo como sugestão, um dos livros da Bíblia que mais leio, em particular o Salmo 117.


Deus é louvado por Amor da sua bondade e veracidade

1 - LOUVAI ao Senhor, todas as nações, louvai-o, todos os Povos.

2 - Porque a sua benignidade é grande para connosco, e a verdade do Senhor é para sempre. Louvai ao Senhor.

Que cada um tire as suas ilacções.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

HÁ DIAS ASSIM COMO HOJE...

Foto: Samuel Ramos Patrocínio

Há dias assim, como hoje, dias em que sinto o corroer da minha alma. Sinto que o mais ínfimo fragmento da minha racionalidade, "enviesou" em demanda daquilo que considero justo.

Não pode, não existe, nem é crível, que qualquer Ser Humano de boa vontade, que acredite nos mais básicos pilares do Ensinamento Humano e na sua vivência terrestre apenas como um cumprir de história, PARE - faça um STOP - pelo menos por um segundo, MEDITE - mesmo que numa versão egoísta, pense em si e nos seus - e se aperceba, quão manipulavel é, por aquilo que todos dizem ser a Sociedade.
Que Sociedade?

Não somos cada um de nós que a constrói.

HAJA CORAGEM PARA A VERDADE E PARA A JUSTIÇA.

A cada VERDADE e JUSTIÇA, nasce um homem/mulher novo(a) e como alguém dizia, o MUNDO avança e pulula de Felicidade e Alegria.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

ONTEM FUI DO SPORTING

Foto: Samuel Ramos Patrocínio

Para começar digo já que sou um anti-sportinguista, primário, ou outra qualquer (coisa) palavra que lhe queiram aplicar.


Para mim, e em termos futebolísticos, Felicidade plena é ver o meu GLORIOSO, a vençer e o Sporting, a a levar na pá. Porém, sempre e sempre mesmo que o Sporting, joga com qualquer clube não Português, este vosso amigo não veste a camisola de lagarto, mas puxa "sofrendo" pela vitória lagarta.


por isso mesmo, ontem fui do Sporting, no Twuente -1 / Sporting -1.