domingo, 23 de dezembro de 2012

UM SANTO E FELIZ NATAL



Inequivocamente por todo o lado, nesta época, é inevitável disfarçar que estamos no Natal.

Mas, estaremos mesmo?

Não, não me quero referir à data correta do nascimento de JESUS (porque na verdade, Jesus Cristo, não só, não nasceu no dia 25 de Dezembro, como não nasceu à 2012 anos. Pensa-se que Jesus terá nascido entre 2016 e 2018 anos, não tendo a história registado o dia e o mês desse facto. Contudo, sabe-se que o dia 25 de Dezembro, não foi o dia do nascimento de Jesus, em virtude deste, ter sido adoptado pelos primeiros Cristãos, pois era um dia de festa pagã, dedicado ao Sol), mas sim, à essência que está no cerne do Natal.

Poderá ser uma observação pouco atenta da minha parte, não o nego, mas tenho dúvidas. Adoptado o dia 25 de Dezembro, como o dia do nascimento de Jesus Cristo, cada vez mais nos últimos tempos, em Portugal (não conheço a realidade dos outros países), parece que temos VERGONHA de comemorar com dignidade a verdadeira essência, para que exista NATAL – O NASCIMENTO DE JESUS E SUA REPERCUSSÃO NAS NOSSAS VIDAS.

Inventamos de tudo para FUGIR A JESUS. Inventamos o pai natal, inventamos o consumismo (numa loucura doentia, capaz de fazer manifestar o pior que há em nós – ganância, inveja, …), inventamos filmes contrários à palavra cristã para serem exibidos nesta época, inventamos jantares em família, mas de que espirito de família pouco têm, inventamos os prazeres da gula e da bebida, inventamos … inventamos ….
    
Na verdade estamos a fugir de quê? A resposta é simples. Estamos a fugir de nós próprios. Estamos a fugir do nosso valor fundamental, do amago do nosso ser, da NOSSA FILOSOFIA DE VIDA, e em última instância da NOSSA SALVAÇÃO.

Está nas nossas mãos a CAPACIDADE DE INVERTER, o que está ou pode estar incorrecto.

Termino, deixando-vos esta bonita música que encontrei na Internet.

A TODOS UM SANTO E FELIZ NATAL NA PAZ DE JESUS. QUE DEUS NOS / VOS ABENÇÕE.


quinta-feira, 5 de abril de 2012

UMA SANTA PÁSCOA

Imagem retirada da Internet /Sem indicação do Autor


carregue sobre a frase acima para ouvir "esta" linda música de Rafaela Pinho


sábado, 21 de janeiro de 2012

COLOQUEM TERMO A ESTE GOVERNO. ESTAREI ERRADO?

Foto: retirada da Internet / Sem indicação do Autor

Deixando para trás todas as ilações e comentários que são possíveis deduzir relativamente às palavras do Presidente da República, relativamente à sua reforma, há uma que é minha, que pode até ser um autêntico dislate, mas eu também tenho direito a isso.

Dessas palavras, sou compelido pessoalmente a extrair que se os montantes recebidos pelo Senhor Presidente, não chegam como diz, para as despesas, imagine-se o da grande maioria dos portugueses. Por isso, para mim foi feito um “convite” claro (provavelmente nem era essa a intenção) mas no Senso Comum transparece, para que os portugueses, coloquem termo a este governo. Estarei errado?

P.S - Não quer dizer que eu esteja ou não de acordo que este Governo deva ter já o seu termo. Tabu.